Edição atual

N. 258| 16 de fevereiro de 2018

Alerta é uma publicação do Núcleo de Disseminação do Conhecimento (NDC) e destina-se a divulgar a produção acadêmica da UFBA registrada no seu Repositório Institucional. O Núcleo foi criado e é mantido pelo Grupo Gestor do Repositório Institucional da Universidade Federal da Bahia (RI/UFBA).

 

Literatura de Cordel

Literatura de cordel, é um gênero literário popular escrito frequentemente na forma rimada, originado em relatos orais e depois impresso em folhetos. Remonta ao século XVI, no Renascimento, e mantém-se uma forma literária popular do Brasil. O nome tem origem na forma como tradicionalmente os folhetos eram expostos para venda, pendurados em cordas. Alguns poemas são ilustrados com xilogravuras, também usadas nas capas. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada para conquistar os possíveis compradores. Em relação à linguagem e o conteúdo, a literatura de cordel tem como principais características: linguagem coloquial (informal); uso de humor, ironia e sarcasmo; temas diversos: folclore brasileiro, religiosos, profanos, políticos, episódios históricos, realidade social, etc. Para reunir os expoentes deste gênero literário, foi fundada em 1988 a Academia Brasileira de Literatura de Cordel, no Rio de Janeiro. No RI/UFBA você encontra diversos trabalhos acadêmicos sobre este tema, entre os quais:

 

O cordel no fogo cruzado da cultura.

Quintela, Vilma Mota

 

Jogo-dentro-do-jogo, o trabalho de ator no teatro de cordel de João Augusto

Araponga, Marconi de Oliveira

 

O espaço urbano na literatura de cordel: o olhar de Cuíca de Santo Amaro

Ruffini, Suseny Maia Teles

 

Caminhos trilhados em versos : teatro, cordel e educação de jovens e adultos

Carvalho, Carla Meira Pires de

 

João augusto: uma viagem no tempo

Amaral Filho, Lindolfo Alves do

 

Idoso

É todo e qualquer indivíduo acima de 60 anos de idade, vivendo a chamada Terceira Idade. O termo foi criado na França em 1962 para substituir palavras como “velho” ou “velhote” e foi adotado no Brasil em documentos oficiais logo depois. A política nacional do idoso (PNI), a Lei nº 8. 842, de 4 de janeiro de 1994, e o estatuto do Idoso, Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, define idoso como pessoas com 60 anos ou mais. Porém, a Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2002, definiu o idoso a partir da idade cronológica, portanto, idosa é aquela pessoa com 60 anos ou mais, em países em desenvolvimento e com 65 anos ou mais em países desenvolvidos. No RI/UFBA você encontra diversos trabalhos acadêmicos sobre este tema, entre os quais:

 

Quedas e capacidade funcional em idosos longevos residentes em comunidade

Brito, Thaís Alves

Fernandes, Marcos Henrique

Coqueiro, Raildo da Silva

Jesus, Cleber Souza de

 

Atenção à saúde do idoso hospitalizado: ações dos profissionais de nível médio de enfermagem

Brito, Oswaldira Alice da Silva

 

O significado do estar asilado para o idoso

Oliveira, Rosângela Souza

 

Dinâmica Familiar de Idosos com comprometimento da capacidade funcional

Reis, Luana Araújo dos

 

A inserção do idoso no mercado de trabalho da Região Metropolitana de Salvador.

Cerqueira Neto, José Basílio

 

Liberalismo

É uma filosofia política e social fundada sobre ideais que pretendem ser da liberdade individual e do igualitarismo. As teorias liberais clássicas surgiram influenciadas pelo iluminismo europeu e revoluções burguesas, a partir do século XVII, para se oporem às formas de Estado absoluto, defendendo as instituições representativas e a autonomia da sociedade civil, do espaço econômico (mercado) e cultural (opinião pública) frente ao Estado. A história do liberalismo está intimamente ligada ao próprio desenvolvimento da democracia nos países do ocidente. Defende-se um Estado pouco interventor, que não interfere na resolução dos conflitos entre empregados e empregadores, entre as diferentes empresas, deixando a livre concorrência recompensar o melhor ator econômico. No RI/UFBA você encontra diversos trabalhos acadêmicos sobre este tema, entre os quais:

 

Contribuições de Mises e Hayek ao problema do cálculo econômico no socialismo
Ribeiro, Vinícius Andrade de Souza

 

Democracia e estado liberal: Bobbio leitor de Kant.

Gomes, Paulo Andrade

 

A trajetória política de Cipriano Barata na formação do Estado Nacional brasileiro (1821-1835)

Prado Filho, Enock Edson Teixeira do

 

O Banco Mundial e o desenvolvimento das microfinanças em países da periferia capitalista

Kraychete, Elsa Sousa

 

Subimperalismo brasileiro na era do padrão de desenvolvimento liberal- periférico (1990 a 2013)

Oliveira, Elizabeth Moura Germano