Edição atual

N.269 | 18 de maio de 2018

Alerta é uma publicação do Núcleo de Disseminação do Conhecimento (NDC) e destina-se a divulgar a produção acadêmica da UFBA registrada no seu Repositório Institucional. O Núcleo foi criado e é mantido pelo Grupo Gestor do Repositório Institucional da Universidade Federal da Bahia (RI/UFBA).

 

Educação de Jovens e Adultos

É uma forma do ensino supletivo, caracterizando-se como uma proposta pedagógica flexível no Brasil. Comumente conhecido pela sigla “EJA”, tem como objetivo desenvolver o ensino fundamental e médio com qualidade, para as pessoas que não possuem idade escolar e oportunidade, considerando as diferenças individuais e os conhecimentos informais dos alunos. Os alunos do EJA são geralmente aqueles que não tiveram acesso à cultura letrada. É uma modalidade diferente do ensino regular em sua estrutura, quanto a sua metodologia, duração e própria estrutura. A iniciativa faz parte das várias pesquisas financiadas pela coordenação Nacional de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. No RI/UFBA você encontra diversos trabalhos acadêmicos sobre este tema, entre os quais:

 

A aprendizagem na educação de jovens e adultos: a emergência de diferentes saberes na re-significação de práticas escolares

Malta, Arlene Andrade

 

As relações dos alunos da EJA com as tecnologias digitais: implicações e possibilidades na vida de cada um

Coelho, Lívia Andrade

 

Uma análise do processo de avaliação do Projeto de Economia Solidária e Educação de Jovens e Adultos

Nascimento, Jaqueline Dourado do

 

Aprendizagem da leitura, escrita e oralidade: um olhar sobre percepções e práticas na EJA

Silva, Erica Bastos da

 

Configurações identitárias numa turma de EJA: uma leitura para além das margens

Santos, Terezinha Oliveira

 

Manganismo

É a intoxicação por manganês, que é muito utilizado na produção de ferro e aço entre outros. Essa contaminação se dá, em grande parte das vezes, por causa ocupacional, vide trabalhadores de indústrias que manuseiam o metal constantemente. E pode ocorrer tanto por via pulmonar, quanto por ingestão de alimentos e água contaminada.  Os sintomas da intoxicação por manganês são mais observados no trato respiratório e no Sistema Nervoso Central. Dentre as manifestações clínicas estão problemas de memória, alucinações, doença de Parkinson, embolia pulmonar e bronquite. Em casos de exposições prolongadas, os homens podem apresentar impotência sexual. Outros sintomas incluem: apatia, esquizofrenia, fraqueza muscular, cefaléia e insônia. O diagnóstico da intoxicação por manganês é feito com base no quadro clínico, juntamente com uma investigação ocupacional. A contaminação por manganês possui opções de tratamento, como a quelação. No RI/UFBA você encontra diversos trabalhos acadêmicos sobre este tema, entre os quais:

 

Avaliação do teor de manganês em alimentos procedentes do município de Simões Filho - BA

Soares, Cristina Pondé Prisco Paraíso Sarno

 

Efeitos neuropsicológicos da exposição ao manganês em crianças

Carvalho, Chrissie Ferreira de

 

Avaliação da exposição ambiental ao manganês por marcadores não invasivos e efeitos neuropsicológicos em adultos

Viana, Gustavo Freitas de Sousa

 

Manganese exposure and cognitive deficits: A growing concern for manganese neurotoxicity

Menezes Filho, José Antônio

Roels, H. A.

Bowler, R. M.

Kim, Y.

Henn, B. Claus

Mergler, Donna

Hoet, P.

Gocheva, V. V.

 

Manganese exposure and the neuropsychological effect on children and adolescents: a review

Bouchard, Maryse

Sarcinelli, Paula N.

Moreira, Josino C.

 

Isquemia

É a deficiência ou ausência de suprimento sanguíneo em determinado tecido ou órgão. Esta situação provoca uma lesão, pois reduz o fornecimento de oxigênio e dos nutrientes necessários que chegam através do sangue. Quando a oferta de sangue é inferior à necessidade básica do órgão ou tecido em questão, a isquemia se instala.  Se não revertida a situação, pode ocorrer um infarto, ou seja, uma necrose ou morte celular devido à falta de irrigação. Isso normalmente ocorre devido a uma obstrução arterial, tendo como principais causas a trombose ou coágulos que ocorrem dentro da parede dos vasos até sua obstrução. Como prevenção, é recomendado ter uma dieta equilibrada, reduzir ao máximo o consumo de álcool, não fumar e evitar o estresse. No RI/UFBA você encontra diversos trabalhos acadêmicos sobre este tema, entre os quais:

 

Repercussões pulmonares após isquemia hepática parcial e reperfusão - modelo experimental

Canedo, Leonardo Fernandes

Lima, Gabriel Varjão

Machado, Marcel Cerqueira César

 

Diferenças entre os gêneros em pacientes com isquemia crítica por doença arterial obstrutiva periférica

Santos, Vanessa Prado dos

Alves, Carlos Alberto Silveira

Lopes, Cícero Fidelis

Araújo Filho, José Siqueira de

 

Efeito do alopurinol e terapia com oxigênio hiperbárico em modelo de reimplante de membro após isquemia quente em ratos

Cunha, Marcelo Sacramento

Silva, José Carlos Faes da

Nakamoto, Hugo

Simão, Danielle Tiemi

Ferreira, Marcus Castro

 

Modelo experimental de isquemia/reperfusão intestinal por clampeamento de aorta abdominal em ratos Wistar

Rocha, Bruno da Costa

Mendes, Rogério Rafael da Silva

Lima, Gabriel Varjão

Albuquerque, Gabriel de Souza

Araújo, Lucas Lacerda

Jesus, Mateus Neves da Silva de

Santos, Washington Luis Conrado dos

Carreiro, Mario Castro

 

Análise das arteriografias de diabéticos e não diabéticos com isquemia crítica da perna

Santos, Vanessa Prado dos

Alves, Carlos Alberto Silveira

Fidelis, Cícero

Araújo Filho, José Siqueira de